Produtores de Guanandi

Produtores de Guanandi

Cadastramento para Censo dos Plantios Guanandi e Outras Espécies de Madeira Nobre


Notícias - Fique por dentro!

02/07/2014 - Tropical Flora realiza visitas técnicas com objetivo de orientar o produtor no manejo das espécies madeireiras nobres

27/06/2014 - Expoforest e o cenário atual das madeiras nobres

24/06/2014 - FAO defende uso racional das florestas pelo mundo

02 de Agosto de 2013 - ILPF será abordado por pesquisador da Embrapa em workshop neste fim de semana em Garça (SP)

30/07/2013 - Giro no Campo – ILPF – Integração Lavoura, Pecuária e Floresta

25 de julho de 2013 - Técnicas e métodos clonagem de mudas florestais serão debatidos em workshop

08 de julho de 2013 - Mercado de madeira será um dos temas do 8º workshop da Tropical Flora

Paricá

Família: Leguminosae – Caesalpinioideae.
Nomes vulgares: paricá, paricá-grande, bandarra,faveira, faveira-branca, pinho-cuiabano e guapuruvu-daamazônia, entre outros.

Sinonímias
Schizolobium excelsum var. amazonicum Ducke ex. L. O. Williams e S. parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby.
Espécie relacionada de maior interesse: A espécie Schizolobium parahyba, encontrada desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, é muito parecida com S. amazonicum, mas diferencia-se desta por florescer sem perder as folhas, possuir pétalas orbiculares e pilosas e sementes maiores (2-3cm de comprimento e 1,5-2cm de largura).

Usos da espécie
A madeira é mole, leve, com textura grossa, grã direita a irregular, cerne creme-avermelhado e alburno creme claro.
Apresenta processamento fácil e recebe bom acabamento, mas possui baixa durabilidade natural,
sendo suscetível ao ataque de fungos, cupins e insetos xilófagos. É empregada na fabricação de palitos de fósforo, saltos de calçados, brinquedos, maquetes, embalagens leves, canoas, forros, miolo de painéis e portas, formas de concreto, laminados, compensados, celulose e papel. A árvore é indicada para plantios comerciais, sistemas agro-florestais e reflorestamento de áreas degradadas, devido ao seu rápido crescimento e ao bom desempenho tanto em formações homogêneas quanto em consórcios. Por sua arquitetura e floração vistosa, pode ser empregada em arborização de praças e jardins amplos. A casca pode servir para curtume e as folhas são usadas como febrífugo por algumas etnias indígenas.

Descrição botânica
A árvore pode alcançar entre 15 a 40m de altura e 50 a 100cm de DAP. Possui ramificação cimosa, com copa ampla e umbeliforme. O tronco cilíndrico e reto pode apresentar sapopemas. A casca, quando jovem, é esverdeada e delgada, tornando-se mais tarde acinzentada, espessa, dura, rugosa e com carreiras verticais de lenticelas; tem odor desagradável almiscarado.
A folha mede até 2m de comprimento e possui disposição alternada; é composta e bipinada; os folíolos são opostos e se fecham quando perturbados; a ráquis é lenhosa.
A planta é hermafrodita. As panículas terminais medem até 30cm de comprimento e contêm flores pequenas; o cálice possui coloração creme-esverdeada; as pétalas são glabras, de formato oblongo e coloração amarela. O fruto é um legume deiscente, obovado-oblongo, achatado, coriáceo ou sublenhoso, glabro, com coloração bege a marrom quando maduro, 10-16cm de comprimento, 4- 6cm de largura e contém uma semente envolta pelo meso-endocarpo alado.
A semente é elíptico-ovada, lateralmente achatada, ápice agudo, base arredondada, medindo 2cm de comprimento e 1,3cm de largura; o tegumento liso, duro e brilhante, possui coloração castanha com estrias finas; o hilo é punctiforme; a rafe é linear; o endosperma é abundante. A plântula apresenta hipocótilo cilíndrico, verde-claro e semibrilhante; os cotilédones foliáceos são opostos, com ápice arredondado, base sagitada e duas estípulas; o epicótilo é cilíndrico, verde e brilhante; o primeiro par de folhas é oposto e paripinado, com 10-12 pares de folíolos opostos, verdes, membranáceos, oblongos, ápice apiculado e base arredondada, margem ciliada e puberulentos em ambas as faces; o pecíolo e a raque são canaliculados e recobertos por tricomas simples e hialinos.

Ecologia
Ocorre na Amazônia brasileira, venezuelana, colombiana, peruana e boliviana. No Brasil, é encontrado nos estados do Amazonas, Pará, Mato Grosso e Rondônia, em solos argilosos de florestas primárias e secundárias, tanto em terra firme quanto em várzea alta. Ocorre em altitudes de até 800m.

Floração e frutificação
O início dos eventos reprodutivos ocorre entre 8 e 10 anos, em áreas abertas e plantios, e aos 12 anos, na floresta. No Pará, a floração ocorre entre junho e julho